A Ilustração de viagem pelo mundo

   Nesse post vou falar sobre a realidade de se estudar fora e responder a pergunta acima. Eu pesquisei muito para definir as faculdades que queria tentar e as alternativas para financiar meu estudo. Nesse processo acabei aprendendo bastante sobre como fazer para estudar fora e vou compartilhar aqui meus conhecimentos.

É para todos mesmo?

   Não. Infelizmente, se você não vem de um berço de ouro ou não conseguiu uma bolsa integral de alguma fundação beneficente ou programa do governo de intercâmbio, estudar fora vai depender de dois fatores principais: o employment rate a o salário médio pós formatura.

   Employment rate da faculdade, ou seja, a porcentagem de formandos que conseguem um emprego nos primeiros 6 meses após formatura é uma estatística que traduz a sua chance de conseguir um emprego dado aquele curso– eu recomendo que se limite a faculdades com mais de 90% nessa estatística.

   Se você não tem o dinheiro para se bancar, vai depender de um empréstimo estudantil e isso pode sufocar você caso faça um curso que não oferece salários mais altos logo após a formatura. Existem diversas empresas que oferecem esse tipo de empréstimo e elas fazem simulações da sua parcela para você ter uma ideia de qual será sua obrigação pós formatura.

   Sugiro que antes de fazer a inscrição na faculdade para estudar fora vá atrás dessas estatísticas e analise friamente se o curso que você deseja fazer é viável e você terá a capacidade de pagar seu custo de vida além de honrar seu compromisso com o banco.

   Pela internet há muitas histórias de pessoas que pegaram empréstimos desse tipo e terminaram sem a menor capacidade de pagar, então esse ponto é crucial, faça todas as estimativas de custos por alto e todas de salário por baixo para dar mais segurança aos seus cálculos.

Pública ou Privada?

   Assim como no Brasil existem dois tipos de faculdade: Públicas e Privadas. A maior diferença entre elas é na Tuition (seria a anuidade da faculdade), enquanto uma faculdade pública pode custar de 0 a EUR 4 000,00 por ano (existem exceções) faculdades privadas podem custar entre EUR 20 000,00 a 30 000,00 algumas chegam até a EUR 40 000,00 por ano. Isso é claro além do custo de vida.

   Em geral a diferença entre essas faculdades se resume ao custo, em termos de qualidade existem excelentes faculdades bem ranqueadas mundialmente de ambas as características. O que guiará sua escolha é a sua capacidade de pagar, curso que deseja fazer e a classificações dessas faculdades em áreas específicas.

   Por exemplo, quando decidi estudar fora, optei por um MBA e  por faculdades nos Estados Unidos pois as melhores do mundo então por lá e são privadas então não tinha como fugir das altas anuidades e eu consegui uma bolsa legal além de uma boa condição de empréstimo estudantil na faculdade onde vou cursar meu mestrado por isso optei por uma faculdade privada em um país onde não tenho cidadania.

Estudar fora custa dinheiro, às vezes, bastante

Ferramentas

   Nessa parte vou compartilhar as ferramentas que você tem para usar a seu favor a fim de viabilizar ($$) o estudo lá fora.

 

Cidadania

   Essa é uma ferramenta poderosa que muitos brasileiros tem acesso devida à nossa natureza miscigenada que pode abrir muitas portas para você. Caso tenha alguma outra cidadania além da brasileira, como por exemplo portuguesa ou italiana, isso pode servir de grande ajuda nos países europeus. Países membros da União Européia oferecem grandes descontos para estudantes europeus em suas taxas de anuidade e ter a cidadania ajuda também em bolsas, empréstimos e trabalho.

 

Bolsas

   Existem diversas opções de bolsas tanto nacionais como estrangeiras baseadas em:

  • Cidadania: Eu encontrei na Europa e nos Estados Unidos bolsas direcionadas especificamente para brasileiros ou europeus.
  • Etnias: Encontrei bolsas direcionadas para negros e para latinos.
  • Gênero: Existem bolsas para mulheres.
  • Condição Social: Existem bolsas específicas para pessoas provenientes de famílias pobres onde o candidato seria o primeiro da família a fazer uma faculdade (isso conta muito lá fora, eles ajudam bastante nesse caso).
  • Mérito: Todas as faculdades oferecem esse tipo de bolsa e é ofertada pela faculdade no processo de admissão baseada no seu currículo.
  • Curso Pretendido: Existem bolsas específicas para alguns cursos, por exemplo, existem bolsas para MBA dadas por instituições externas como Instituto Ling.

   Essas bolsas normalmente variam de USD 5 000,00 a 10 000,00, mas existem bolsas maiores e até mesmo integrais. Isso vai depender do país, do curso, e seu currículo. É necessário uma pesquisa extensa sobre as condições de cada curso por existem muitas variáveis associadas.

   Aqui no Brasil os principais programas de bolsa que conheço são Fundação Estudar, Instituto Ling e CNPq.

 

Empréstimo

   Essa é uma ferramenta que deve ser usada com muito cuidado, um empréstimo pode acabar com a sua vida de você não tiver a condição de pagá-lo pós formatura.

    Como dito antes, você deve analisar a sua capacidade de pagar o empréstimo através das duas estatísticas que citadas: Employment Rate do curso e Salário inicial pós curso. Além de pesquisar outros alunos que tomaram a mesma decisão que você, tente entrar em contato com ex-alunos para ver se eles conseguiram pagar os empréstimos deles e como foi para conseguirem um emprego. Um site muito bom para esse tipo de informação é o Quora, uma rede social de perguntas e respostas.

 

Inscrição

   Eu fiz uma postagem sobre como economizar nas inscrições de faculdade, por que, esse custo cresce rápido!

 

Trabalho

   Em quase todos os países os estudantes estrangeiros podem trabalhar por 20 horas semanas, ou seja, meio período. O trabalho enquanto estudo, lá fora, é natural e vai te ajudar a pagar as contas da faculdade.

   Não será o suficiente para cobrir todos os custos com certeza, mas ajudará  a fazer a conta fechar.

 

Trabalhou para alguém formado fora

   Se você trabalhou na faculdade ou no setor privado para alguém que se formou fora a carta de recomendação dessa pessoa será muito valorizada no processo seletivo e muitas vezes pode ser a diferença para você ser aceito na faculdade, então pesquise bem seus chefes ou ex-chefes veja se você consegue achar alguém com essa característica.

 

Prestígio da Faculdade

   Por fim há esse aspecto, quanto maior o prestígio da faculdade, se privada, maior será o seu custo, por exemplo, cada ano de MBA em Harvard custaria USD 100 000,00 para mim enquanto que meu MBA completo em Stevens custará esse valor. Porém quanto maior o prestígio mais fundações e bolsas existem em torno do curso, ou seja, mais opções para bancar o seu curso. Então não precisa descartar as super faculdades por conta do preço. Se você for capaz de entrar em uma dessas, provavelmente, será capaz também de ser aprovado nos processos seletivos de bolsas integrais dadas por instituições nacionais e por internacionais ou pelo menos uma boa bolsa de mérito.

 

Perfis de Estudante

   Existem quatro grandes quadrantes de estudo fora do país com realidades bem diferentes. Esses quatro quadrantes são formados pela combinação da cidadania do candidato e o nível de educação que a pessoa está perseguindo.

Tabela ilustrativa dos quatro quadrantes

   Quais são as grandes diferenças? Um curso de graduação dura de 3 a 4 anos significando um investimento maior em uma moeda estrangeira, enquanto que um mestrado dura de 1 a 2 anos no máximo e a questão de ser cidadão, não só da EU, mas do país onde a sua universidade está vai gerar muitas facilidades como taxas menores e até mesmo a possibilidade de trabalhar uma jornada completa facilitando assim o pagamento dos custos.

 

A seguinte lista de dificuldade foi elaborada pensando em termos globais, alguns países da Europa apresentam uma peculiaridade de oferecer taxas baixas mesmo para não cidadãos, esses países serão listados ao final do post:

 

  • O quadro de maior facilidade na minha opinião é o 2, ou seja, um mestrado em uma faculdade europeia com uma cidadania da união europeia pois nesse caso você tem acesso a uma gama maior de faculdades com taxa reduzida, um tempo menor de curso resultando em um custo de vida total menor, mais alternativas de bolsas, a possibilidade de trabalhar full time, acesso à melhores taxas de juros ao contrair um empréstimo e a possibilidade de trabalhar ilimitadamente pós formação.

 

  • O segundo de maior facilidade na minha opinião é o 4 (onde eu me encaixo),ou seja, um mestrado em um país onde não se tem cidadania e um curso de menor duração, ou seja, um custo total menor, porém já não pode se beneficiar tanto de taxas menores, menos opções de bolsa, menos opções de empréstimos, limite de trabalho de 20 horas semanais, e limite de tempo para trabalho pós formatura (pode, ou não, ser estendido, tem que consultar a peculiaridade de cada país).

 

  • Um pouco mais difícil seria a situação 1, ou seja, ter a cidadania do país onde a faculdade se encontra e se tratar de um curso de graduação (bacharel), nesse caso os principais aspectos são os custos de vida que são altos por se tratarem de 3 a 4 anos e a limitação de trabalhos que se pode exercer de meio período (carga horarias de bacharel são mais extensas que mestrados tornando difícil um emprego full time) além dos salários pós formatura que são menores se comparados com nível mestrado ou doutorado por exemplo.

 

  • E a situação mais desafiadora sera a 3, ou seja, um brasileiro cursando uma graduação em um pais estrangeiro. Aqui você basicamente estará sem ferramentas para facilitar sua vida, seus custos serão altos, você terá uma possibilidade de trabalho baixa, poucas bolsas e poucas possibilidades de empréstimo, não é impossível, mas vai precisar de uma dedicação maior na hora de encontrar alternativas para financiamento do curso além de uma situação mais desafiadora pós formatura por conta de vistos e juros do empréstimo estudantil.

 

   Eu passei muito sufoco para conseguir financiar minha ida para fora, por não ser um cidadão dos Estados Unidos, não ter família ou amigos lá para assinar um empréstimo comigo e ter optado por uma faculdade particular eu tenho um custo total alto a ser pago, porém consegui ter a maior bolsa que a faculdade oferta por mérito o que ajudou bastante na hora de por as contas na ponta do lápis. Como eu disse, necessita de dedicação, em um próximo post vou contar os detalhes de como planejo financiar o meu estudo e como você poderá fazer também.

Bandeira da União Européia

Peculiaridades da Europa

   Alguns países europeus tem subsídios para estrangeiros além de cidadãos da união europeia. Vou listar aqui os principais países que oferecem as maiores vantagens que são traduzidas em descontos ou anulação da Tuition (Anuidade).

   Em geral existem três tipos de despesa, taxas administrativas, custo de vida e Tuition, que seria o “preço” de estudar na faculdade, seria a nossa mensalidade da faculdade aqui com a diferença que lá fora são cobradas anualmente, então, anuidades.

 

França

   Vou abrir a lista com a França, pois esse país era famoso por dar grandes incentivos que infelizmente acabaram no final do ano passado, porém compensou o aumento nas taxas para estrangeiros com a oferta de mais bolsas.

   Agora as taxas para estudo são de:

  • EUR 2 770,00 por ano de Bacharelado
  • EUR 3 770,00 por ano de Mestrado
  • EUR 380,00 para Doutorado (foi mantido o subsídio)

   Lembrando que esses custos são apenas da faculdade sem contar custo de vida e nem taxas menores como matrícula, custos com livros e etc.

 

Alemanha

   Encontrei diversas faculdades top públicas com Tuition zerada, ou seja, não paga para estudar, mas lembre que paga para viver. Então nesse país,em uma universidade pública, você apenas precisará se preocupar com o custo de vida durante sua estadia e algumas taxas menores que possam por ventura incidir mas pelo que vi eram da faixa de EUR 60,00.

   Um lembrete, muitos cursos aqui são dados em alemão, a oferta de cursos em inglês é menor então se atente a esse detalhe ao pesquisar seu curso de desejo.

 

Austria

 Nesse país temos a mesma questão da língua que a Alemanha, para residentes ou cidadãos europeus, o custo da Tuition é zero, mas para brasileiros seria de EUR 1 452, 00 por ano.

 

Irlanda

   Tem Tuition grátis para membros da união européia, mas nenhuma ajuda para estrangeiros.

 

Noruega

   Oferece Tuition grátis para estrangeiros e tem apenas taxas administrativas variando de  NOK 300,00 a NOK 600,00 representando BRL 119-338,00 na cotação de (26/06/2020)

 

Considerações Finais

   Sendo flexível na escolha do curso que quer fazer e tendo um bom currículo é sim possível estudar lá fora e arcar com os custos. Cada situação é única pois há muitas variáveis envolvidas então aconselho que estude bem cada opção, é um processo árduo cheio de vai e vens, porém não tem escapatória.

   O conselho que eu dou é: fique com o pé no chão. Vá fazer o curso que você consegue pagar e não brinque com o empréstimo estudantil, use-o apenas se você tiver certeza de que vai conseguir honrá-lo pós formatura.

2 thoughts on “Estudar fora: é sonhar demais?

  1. Guilherme says:

    Muito bom! Um grande arrependimento é não ter estudado fora na época da faculdade. Quem sabe ainda consigo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *