Se você pretende fazer um mestrado fora (na área de gestão), provavelmente já ouviu falar sobre essa prova, o famoso Graduate Management Admission Test ou GMAT. Vou contar aqui como foi a minha experiência e dar dicas baseadas na minha vivência.

   Primeiro, gostaria de informar que, ao realizar a prova, o candidato assina uma declaração se comprometendo a não divulgar questões da prova e, por isso, não poderei compartilhar as questões da minha prova.

   Essa prova é específica para programas de pós-graduação na área de gestão e é dividida em 4 partes principais, sendo as duas primeiras as mais importantes para avaliação do resultado de um candidato no processo seletivo. Vale ressaltar, também, que todas as questões da prova são em inglês.

   As quatro partes:

  1. Quantitative Reasoning (Abreviado por Q) 31 questões
  2. Verbal Reasoning (Abreviado por V) 36 questões
  3. Integrated Reasoning (Abreviado por IR) 12 questões
  4. Analytical Writing Assessment (Abreviado por AWA) 1 redação.

 

   A parte quantitativa tem uma pontuação máxima de 60 pontos e consiste em questões de lógica num contexto de álgebra e geometria. A verbal tem a mesma pontuação máxima e consiste em questões de interpretação de texto e gramática. IR tem pontuação máxima de 8 e consiste em questões de análise mista, envolvendo textos e infográficos. Por fim AWA consiste em uma redação argumentativa onde deve-se defender uma posição e pontuação máxima de 6.

   A prova é realizada em um computador isolado de outros participantes e é governada por um algoritmo de computador. A máquina mede a sua performance durante a realização do exame, levando em conta dados como índice de acertos, dificuldade da questão e tempo necessário para responder a pergunta, bem como o tempo de prova geral. Esse algoritmo é responsável por adaptar a prova à sua capacidade de responder e, com isso, lhe atribuir uma nota entre 200 e 800. O resultado tem um prazo de duas semanas mas costuma sair em poucos dias.

   As questões da prova não são propriamente difíceis: qualquer uma que fosse jogada na sua mesa em um dia tranquilo de verão seria facilmente respondida. Porém, em um ambiente sob pressão e estresse, você pode empacar facilmente. Todas têm algum tipo de sacada necessária para resolvê-las com êxito.

   Toda a prova é baseada em lógica, seja em problemas de algebra, geometria, interpretação de gráficos, argumentação ou gramática (sim, acredite). Então, pessoas que vêm de cursos com ênfase forte nesse sentido terão uma facilidade maior para resolver as questões.

   Exemplo: Eu sou formado em Engenharia. Por isso, analisar gráficos, fazer contas, visualizar objetos 3D, proporções, analisar taxas e rotinas do tipo estavam no sangue para resolver as questões. Porém, a parte verbal foi uma das minhas maiores dificuldades, por se tratar de gramática e interpretação de texto em alto nível – e em uma língua estrangeira.

   Em geral, obter um 700+ seria considerado uma ótima nota; fazer 660-700 seria uma boa nota para se manter competitivo dependendo do curso, porém, isso depende muito do programa e faculdade alvo. É bom checar qual é a média das notas para um determinado curso para que você possa comparar com o seu resultado e ver se está bem ou mal posicionado. É importante lembrar que a nota não é a única ferramenta de avaliação nos processos seletivos de modo que uma boa nota não garante a sua colocação, porém uma nota ruim com certeza te tira do páreo.

   Eu fiz a minha prova logo que me formei em Engenharia Naval pela UFRJ, então, esse fundo de curso quantitativo me ajudou a acertar uma boa quantidade de questões. O meu caso foi um pouco à parte, pois tive que lidar com um prazo para estudar muito apertado (1 mês) e intermitente, pois tive que lidar com problemas de saúde pesados na família, o que me abalou consideravelmente, comprometendo meu tempo dedicado.

   Falando agora um pouco da parte financeira, a prova custa US$ 250, então, prepare-se para desembolsar uma boa quantia de dinheiro. Eu fiz a compra de um pacote de exercícios da própria empresa por US$ 49,90 e ainda um livro da Kaplan, o GMAT 800, por RS$ 80,69 na época. Quando escrevi este artigo (02/04/2020), o livro estava saindo a RS$ 116,75 na Amazon Brasil. No dia da prova, você poderá escolher 5 faculdades para enviar gratuitamente o seu resultado e depois, de casa, você poderá enviar para outras por uma taxa de US$ 28. A tabela abaixo lista os meus gastos em dólar e em real, exatamente como foram cobrados na fatura do meu cartão de crédito.

Gastos totais com a prova

Gastos totais com a prova

   Na minha humilde opinião, achei que investir no livro, no pacote de provas e nos exercícios extras valeu muito a pena, considerando o nível da prova e a qualidade dos materiais de estudo. Usei vários aplicativos com questões simulando a prova real, porém, não gostei de nenhum, pois achei as questões bem diferentes da prova de verdade.

Livro GMAT 800 da Kaplan

   Os simulados oferecidos pela GMAC (empresa responsável pelo GMAT) são os mais próximos do real e servem bem para medir o seu desempenho na prova. O ideal para mim seria fazer o primeiro exame para que se tenha uma boa ideia de como a prova será e, a partir do resultado obtido, ir aprimorando os pontos de falha. Foi oferecido a mim pela GMAC um produto de US$ 30 (salvo engano) que seria o detalhamento do resultado da prova, mas optei por não comprá-lo, já que não era bem avaliado em pesquisas que fiz no Google.

   Em 1 mês de preparo: estes foram meus resultados: tirei 660 no primeiro simulado (Exam 1); 660 no segundo; 680 no terceiro; e, por fim, 640 no quarto. Essa fase final da preparação foi quando fui surpreendido por um problema de saúde sério na família e tive que deixar o estudo um pouco de lado, além de lidar com a situação como um todo, e, com certeza, afetou bastante o meu resultado.

Tabela dos resultados

Tabela dos resultados

   Acredito que uma pessoa numa situação parecida com a minha (recém-graduado em um curso quantitativo), estudando de maneira focada por um período de 3 meses, consiga uma nota de 700+ com certa tranquilidade. Ao mesmo tempo, 1 mês de estudo forte pode ser capaz de te colocar na marca de 700, mas tudo isso depende de muitos fatores e da situação de cada um.

   Mais importante que o seu resultado numérico é o seu percentil. Esse resultado é o seu ranking frente a outros candidatos e quanto mais próximo de 100%, melhor. Em geral, as melhores faculdades do mundo então procurando resultados entre os 15% melhores, ou seja, percentil de 85% ou mais. Esse resultado será entregue junto da sua nota final.

   Outro ponto importante para se atentar é o local de prova. No Brasil, existem apenas 7 locais de prova, de um total de 12 na América do Sul. Vou colocar aqui a lista atualizada dos locais (dados de 02/04/2020):

Mapa com os locais de prova

Mapa com os locais de prova

Mapa expandido

Mapa expandido

Listagem de locais de prova retirado do site oficial

Listagem de locais de prova retirado do site oficial

   No dia da prova, leve somente o essencial, pois você não poderá entrar com objetos no cubículo de prova e será bastante revistado para garantir a integridade da prova. Eu levei apenas carteira e celular dentro de uma mochila sacola (eles disponibilizam armários para guardar seus pertences).

   Para se registrar, marcar prova, desmarcar prova, comprar pacotes de exercícios e obter outras informações, é só acessar o site da própria GMAC, esse aqui.

Foto do site

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *